ELAS & O PROFESSOR – MARIA RACHEL LOPES

3 min leitura

A entrevista de Junho de 2017, com a fotógrafa Maria Rachel é dedicada à minha princesa vascaína  Úrsulla Rocha, meu eterno amor.

MARIA RACHEL LOPES, divorciada, mãe da Maria Clara, nasceu em 1972, em Petrópolis (44 anos), jornalista e fotógrafa, especializada em fotojornalismo, atualmente carioca de Copacabana, do signo de Libra, é portelense, apaixonada por rock clássico, jazz e quase tudo que foi feito em termos musicais antes de 1980.

 

Em qual posição na tabela do Campeonato Brasileiro você acha que o Vasco da Gama ficará, no término da competição?

Espero que se salve da Zona de rebaixamento.

 

Qual o ponto fraco da equipe?

O conjunto da obra.

 

Milton Mendes tem o plantel nas mãos? 

Quem é Milton Mendes?

 

Se o treinador cair ao longo da competição, quem seria o substituto ideal?

Sempre o Roberto Dinamite. Outro que eu acho que vestiria bem o papel de técnico é o Juninho Pernambucano.

 

O que você acha do Eurico Miranda como presidente do Cruzmaltino?

Nunca fui com a cara dele. O Eurico me passa um astral meio Cosanostra, da máfia siciliana, sabe como?

 

Ele (Eurico Miranda) merece ser reeleito?

Não, e não sei como foi tantas vezes, embora desconfie.

 

Você conhece as propostas de Alexandre Campelo (o candidato da chapa formada pelos grupos Identidade Vasco, Vira Vasco e Pro Vasco)?

Não, mas vou procurar conhecer. Só de não ser o Eurico, já acho que é uma grande coisa.

 

Qual a melhor fotografia do Gigante da Colina que você já viu nos grandes diários?

Uma do Edmundo abraçado com o Romário. Antes do Edmundo atropelar pessoas e do Romário virar político.

 

Aquela fotografia do Edmundo, no centro do gramado, do maracanã, na final do Mundial da Fifa, em 2000, quando perdeu o pênalti, e o Corinthians sagrou-se campeão, te marcou como fotógrafa e vascaína?  

Claro, eu acompanhava muito mais o futebol até sofrer essa desilusão. Mas mais do que a fotografia até, o que marcou foi a expressão dele, enquanto levava as mãos ao joelho. Nem ele acreditava que tinha perdido aquele pênalti. A sequência de imagem daquele final de jogo ficou toda registrada na minha cabeça.

 

O que você atribui a tanto fracasso nos últimos 15 anos na vida do Cruzmaltino?

Impaciência, eu acho. O Dinamite começou a recuperar o clube, mas esse processo é devagar, leva tempo. Perder faz parte, até acertar. Mas aí o vascaíno prefere colocar o Eurico de volta. Não entendo. O pior é saber que a gente corre o risco disso acontecer de novo.

 

O modelo de clube-empresa salvaria o Vasco de uma falência?

Nessa crise, acho que ninguém está salvo de uma falência, mas creio que é uma boa tentativa.

 

O fornecedor de material esportivo (Umbro) está no patamar da história do clube?

Não vejo porque não estaria.

 

O clube poderia pedir a Umbro para confeccionar uma camisa rosa, especial para as mulheres?

Pode pedir, mas acho que um modelo feminino, respeitando as cores do clube é sempre mais interessante.

 

Quem é o jogador mais boa pinta do plantel vascaíno? 

Atual ou de todos os tempos? Bebeto, Edmundo, Dinamite. Atualmente, acho o Escudero o mais ajeitadinho. Esse povo do futebol tem que perder essa mania de pintar o cabelo, se encher de brinco e de fazer esses cortes de cabelo esquisitos.

 

FOTOGRAFIAS: DIVULGAÇÃO DA ENTREVISTADA

 

Copyright © Todos os direitos reservados. | Newsphere by AF themes.