GALO, FAROFA, VELA E ALMA ENCOMENDADA!

5 min leitura
Luiz Carlos Rocha

     É impressionante como o Vasco da Gama está morto com farofa! Ao perder por 2 a 1 para o Galo, no Independência, hoje, em partida válida pela 23ª Rodada do Campeonato Brasileiro o time carioca mostrou o motivo porque está com a vela na mão: Porque a escuridão, digo, as trevas de estar numa das últimas posições na tabela da competição (18º lugar) só prova que a alma do Gigante da Colina está encomendada à Segunda Divisão!
         Como se não bastasse o fraco ataque não fazer gols, agora a defesa resolveu fazer, só que contra. Rafael? Vaz. Vaz meu filho para a casa do Carvalho! O mínimo que se espera de um zagueiro é a seriedade. De nada adiantou Dakson marcar. Serviu apenas para os “otimistas” acreditarem que nas próximas rodadas as coisas irão melhorar. Não vejo perspectivas. Nas primeiras partidas do Brasileirão eu conversava com o nosso outro editor, André Pedro que o Vasco sequer iria à Libertadores, enquanto ele pensava que sim.
         Natural. Com o elenco que o Vasco tem, não fica atrás de outras equipes que estão entre os seis primeiros, exceto Cruzeiro e Botafogo que tem um plantel diferenciado. No mais, todas as outras equipes se igualam. Logo, a experiência futebolística de André estava certo em acreditar. Porém havia um detalhe negativo. Um inimigo! A politicagem. Vivemos o pior momento político da história do clube. A política quando bem-intencionada, gera críticas (construtivas), elogios e metas. Já a politicagem é barata e só destrói.  A vaidade dos cartolas na briga pela cadeira de número um está apequenando o Vasco.
         Por esse motivo, é que eu não acreditei em nosso time. Como não acredito – e torço para estar errado – na recuperação. O Vasco precisa de um presidente que governe em prol do clube e não do seu umbigo. Que tenha pulso firme. Um guerreiro para defender a cruz de malta em todos os segmentos desportivos, inclusive nos esportes amadores. Mas que seja humilde suficiente para governar em equipe. A visão do gestor tem de ser que futebol é um esporte coletivo, dentro e fora de campo. SOMENTE ISSO PODERÁ SALVAR O VASCO DE UMA VEZ POR TODAS: A UNIÃO!!!!
         Enquanto isso não acontecer a cada rodada o Vasco vai sendo ridicularizado pelos adversários. A Imensa Torcida Bem Feliz anda cabisbaixa por tantas mágoas num período recente. Como em qualquer segmento profissional, os homens da administração esportiva que estão dentro do clube – com o poder da máquina – existem aqueles sérios e outros que são canalhas. Assim como a oposição. São vários os concorrentes de Carlos Roberto de Oliveira. Uns corretos, de boa postura no que tange ao caráter, outros nem tanto. Cabe ao sócio vascaíno saber votar com a máxima seriedade em 2014, para que breve possamos brilhar no cenário nacional, a exemplo do passado, onde o Vasco era temido e respeitado.
         Há um bom tempo dedico meus estudos ao futebol, quando cursei as faculdades de jornalismo e direito foi pensando em ajudar de alguma forma nosso amado clube. Fui além um pouco, me formei na primeira turma de Jornalismo Esportivo do Estado do Rio de Janeiro. Além de mais 28 cursos na área do futebol em Instituições Públicas e Privadas consagradas. Logo, em minha humilde opinião – não sou dono da verdade – sugiro que os bons homens que amam o Club de Regatas Vasco da Gama, independente da filosofia política, se unam para salvar a alma vascaína. Quando nos refortalecermos, aí sim, poderemos disputar alguma coisa internamente.  Agora não! Nesta fase temos de somar forças para lutar contra os inimigos internos (os homens sem caráter que insistem em dizer que são vascaíno, mas só querem tirar proveitos do Gigante) e os inimigos externos, que são a reconstrução da marca Vasco da Gama, o ressurgimento da fábrica de ídolos fortalecendo as divisões de base, a solidez do programa de sócios para não depender da renda dos jogos, e principalmente a parceria com empresas certas que possam ser com contrato de exclusividade.
         Em tempo: Fernandinho marcou o primeiro gol para o Atlético/MG. O árbitro André Luiz de Freitas Castro deixou de marcar um pênalti a favor do Vasco, que poderia ter mudado o resultado caso o cruzmaltino convertesse a penalidade máxima. Esse ponto seria importante. Ah, Juninho é um craque dentro de campo não tenho a menor dúvida, mas acho que ultimamente está exagerando nas reclamações, talvez seja para treinar a nova função de comentarista em uma rádio francesa. Um recado para o Reizinho: jogar e falar dá falta de ar, caindo o rendimento, como nas últimas partidas onde o camisa 8 errou passes que os garotos dos juniores não erram.  Avelha máxima diz: “cão que ladra não morde”.  
         A curimba continuará no domingo, quando o Vasco enfrentará o Bahia, no templo deles, quer dizer, na Fonte Nova. A sugestão para Roberto Bombinha  é chegar na sexta-feira e procurar um bom terreiro a fim de mandar os atletas tomarem um banho de sal grosso e em seguida uma reza forte. Pode ser que a mandinga do Povo do Gueto vá embora de uma vez por todas. Com respeito a todas as religiões e na política da soma (sou avesso a subtração) que venham as manifestações por energias positivas dos católicos, protestantes, espíritas, budistas, muçulmanos e até os ateus.
                               
APÓS AS TODAS AS PARTIDAS DO VASCÃO EM MEU PERFIL DO FACEBOOK (QUEM QUISER RECEBER AS CRÔNICAS DE PRIMEIRA MÃO É SÓ ME ADICIONAR), E NOS SITES WEBVASCO (www.webvasco.com), E VASCAÍNOS UNIDOS (www.vascainosunidos.com.br) TEM A OPINIÃO DO JORNALISTA LUIZ CARLOS ROCHA. LEIAM! COMPARTILHEM E CURTAM! VASCAÍNOS UNIDOS JAMAIS SERÃO VENCIDOS.
 


 

Copyright © Todos os direitos reservados. | Newsphere by AF themes.